Sem categoria

Porto Velho é o quinto pólo do VI Encontro de Atualização Administrativa

O presidente do Tribunal de Contas do Estado conselheiro José Gomes de Melo abriu nesta segunda-feira, no campus da FATEC, o pólo de Porto Velho do VI Encontro de Atualização Administrativa que reúne também os municípios de Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Itapuã do Oeste e Candeias do Jamari, em sessão a que estiveram presentes o chefe da Casa Civil do Estado Odacir Soares, representando o governador Ivo Cassol; o prefeito Roberto Sobrinho e presidente da Câmara Municipal Hermínio Coelho, ambos de Porto Velho, além de todos os conselheiros, auditores, procuradores do TCE e mais de 200 participantes.
“O trabalho pedagógico do Tribunal de Contas vai continuar, porque pretendemos fornecer todos os mecanismos para que os gestores públicos possam fazer uma boa administração, mas em nossas inspeções e auditorias vamos cobrar a aplicação desses ensinamentos”, disse o presidente do TCE.
Para o prefeito Roberto Sobrinho, “esse evento vem somar o Tribunal de Contas ao esforço que nós, administradores, devemos fazer para tornar mais ágil e leve a máquina pública que deve ser vista neste momento de crise como um elemento apto, apesar de todas as dificuldades, a enfrentar o quadro que nos apresenta”.
“Temos de ser criativos para fazer a máquina pública andar. Como elemento colaborador, é importante observarmos que o nosso Tribunal de Contas está muito à frente de muitos de seus similares e nos favorece essa parceria que deve ser considerada por nós”, disse o presidente da Câmara porto-velhense vereador Hermínio Coelho.
Afirmando que vai sugerir ao presidente Lula que reveja normas relativas à contrapartida municipal a investimentos federais, como forma de desafogar as administrações, o senador Valdir Raupp disse que o Tribunal de Contas “oferece um aprendizado e uma consultoria que deve ser absorvida, para reduzir custos e maximizar o uso dos recursos públicos”.
Representando o governador Ivo Cassol, o chefe da Casa Civil Odacir Soares disse ser necessário que, no momento de crise atual, o administrador público deve usar uma lição simples. “Primeiro usando de oportunidades como essa que o Tribunal de Contas favorece e, a segunda, gastar sempre de forma consciente, priorizando o uso dos recursos e, sempre, menos do que se vai arrecadar”.
O VI Encontro continua durante toda esta segunda-feira e amanhã, terça, sempre na FATEC, com sete oficinas de trabalho, aplicadas por conselheiros, auditores, procuradores e técnicos do Tribunal de Contas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar