Sem categoria

Conselheiro aposentado elogia a interiorização do TCE

“Tudo o que sonhei para o Tribunal de Contas está se realizando.” Foi com essas palavras que o conselheiro aposentado do TCE-RO, Miguel Roumié, classificou a atuação do Tribunal de Contas, ao ser recebido pelo presidente da Corte, conselheiro José Gomes de Melo, nesta quarta-feira (24), em uma visita de cortesia.

“O Tribunal realiza a missão constitucional de forma permanente, ativa, e com a mais moderna tecnologia, a fim de que os gastos públicos sirvam efetivamente para atender ao interesse público”, disse Roumié, numa referência ao acompanhamento que o TCE realiza atualmente e à estrutura que dispõe.

O conselheiro aposentado elogiou a concretização do processo de interiorização da Corte, com a inauguração da sua primeira Secretaria Regional de Controle Externo em Vilhena, em maio deste ano, dizendo que era uma das aspirações dos conselheiros que integraram a primeira composição do TCE.

Ao relembrar momentos da história do Tribunal, desde sua instalação, Roumié disse que a construção da atual sede da Corte só foi possível graças ao empenho da então secretária de Planejamento do Estado, Janilene Vasconcelos de Melo. “Depois de pronto, vários órgãos do governo queriam se mudar para o nosso prédio”, contou.

Ao final do encontro, o presidente José Gomes agradeceu à visita de Miguel Roumié e destacou a relevante contribuição dada pelo conselheiro para que o TCE chegasse ao estágio que hoje se encontra, tanto no desenvolvimento das suas atribuições fiscalizatórias e orientativas quanto na sua estrutura física e organizacional.

DIREITO

O conselheiro aposentado Miguel Roumié fez parte da primeira composição da Casa, onde atuou por dez anos. Natural de Belém (Pará), veio para Porto Velho aos dez anos, só retornando à capital paraense para fazer o curso de Direito. De volta a Porto Velho, recém-formado, militou na advocacia, sendo um dos fundadores e presidente da seccional Rondônia da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Também atuou como procurador e vogal na Junta Comercial, foi delegado da extinta Superintendência Nacional de Abastecimento (Sunab) e membro da primeira banca examinadora do concurso do Ministério Público, na cadeira de Direito Processual Penal.

Chegou a ser lembrado para assumir uma das vagas de desembargador do Tribunal de Justiça, após a criação do Estado de Rondônia, mas foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas. Aposentado, inclusive da atividade de advogado, Miguel Roumié reside atualmente em Natal, no Rio Grande do Norte.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar