Sem categoria

Operacionalização do Plano Estratégico 11/15 do TCE é debatida durante reunião

A implantação e operacionalização do Plano Estratégico do Tribunal de Contas para o período 2011/15 foram pauta da reunião desta quarta-feira (25), entre os membros do Colegiado da Corte e os consultores da Associação Brasileira de Orçamento Público (Abop), Tomás Menendez Rodriguez e Flávio Popinigis.

Na oportunidade, os profissionais da instituição contratada pelo TCE para realizar consultoria e monitoramento sobre a execução do Plano Estratégico 11/15 expuseram as primeiras impressões captadas nas reuniões e encontros com membros e servidores, realizados em 2011.

Popinigis, em sua fala, considerou fundamental haver o comprometimento da alta direção da Corte para que o Plano Estratégico seja, de fato, implementado. Falou também sobre a necessidade de se definir indicadores para aferição dos resultados e avaliação do desempenho das unidades internas do TCE. “É a gestão com precisão, baseada em dados e números confiáveis”, explica.

Tomás Menendez, por sua vez, explicou a metodologia utilizada para a efetivação do cronograma de acompanhamento do Plano Estratégico do TCE. “Em fevereiro, encerraremos a primeira fase, na qual será gerado o primeiro relatório desse trabalho”, disse, acrescentando que, ao final de fevereiro e início de março, será ministrado o curso sobre indicadores de desempenho organizacional, para 20 servidores.

Durante o encontro, os membros do Colegiado e também os secretários das áreas de administração, planejamento e controle externo puderam, cada um dentro de sua área, apresentar suas impressões e possíveis soluções para assegurar a operacionalização do Plano Estratégico.

Nesse sentido, foi colocada a necessidade de que todas ações decorrentes de mudanças no âmbito organizacional, especialmente as despesas, sejam realizadas em sintonia com o Plano Estratégico. “É preciso que o Tribunal de Contas fortaleça sua cultura de planejamento”, diz o presidente do TCE, conselheiro José Euler Potyguara Pereira de Mello.

PROCEDIMENTOS

Foram colocadas durante a reunião outras situações envolvendo o Plano Estratégico, como o redesenho de processos com a adoção de medidas de pequeno, médio e longo prazos; a redução do tempo de julgamento dos processos; a comunicação intra e extrainstitucional; a capacitação com foco na consecução dos objetivos estratégicos propostos; e a atualização de leis ou normatização de atos realizados cotidianamente no âmbito da Corte.

Os membros da Corte de Contas também solicitaram dos consultores da Abop sua participação na realização de uma análise do Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (Peti), que está sendo implantado concomitantemente ao Plano Estratégico 11/15. Nesse aspecto, foi enfatizada pelos conselheiros a necessidade de melhorias objetivando superar os gargalos existentes atualmente nessa área.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar