Sem categoria

Correição no Gabinete da Presidência encerra cronograma/2014 do TCE

Foi aberta nessa segunda-feira (3), no Gabinete da Presidência, a última atividade do cronograma de correições ordinárias em gabinetes de conselheiros, estabelecido para o exercício 2014 pelo Tribunal de Contas (TCE-RO), por meio de sua Corregedoria-Geral.

O procedimento, que é uma diretriz nacional, mas cuja iniciativa pioneira cabe ao TCE rondoniense, tem, entre outros objetivos, o de acompanhar, compreender e avaliar o desempenho dos gabinetes, bem como orientar e propor medidas com foco na melhoria dos serviços prestados pela Corte.

Presente ao ato de assinatura do termo de instalação da correição no Gabinete da Presidência, o conselheiro corregedor-geral Edílson de Sousa Silva, além de citar o pioneirismo do TCE na realização das correições em gabinete de conselheiro, falou da importância do engajamento dos servidores do gabinete, a fim de se alcançar o melhor resultado possível com o trabalho.

“Esse procedimento não tem, a princípio, intenção punitiva e, até por isso, espera-se que todos se envolvam nas atividades que serão realizadas nesses dias, cujo objetivo não é só detectar possíveis falhas, mas também apontar boas práticas, que possam servir aos outros gabinetes e ao Tribunal em seu todo, para o alcance de sua missão, que é ser referência e modelo para a administração pública”, disse.

Já o conselheiro presidente José Euler Potyguara Pereira de Mello também destacou a busca, por meio do procedimento de correição, pela melhoria dos serviços realizados pelos gabinetes e consequentemente pelo próprio TCE. “Esse trabalho é de suma importância para termos um diagnóstico mais preciso e que possibilite aperfeiçoarmos nossas atividades, com resultados ainda melhores para o nosso Tribunal”, completou.

PROCEDIMENTO

Feitos os pronunciamentos, os conselheiros assinaram o termo de instalação da correição. Também foram explicadas questões referentes ao procedimento correcional, incluindo ações como levantamento e aferição da estrutura do gabinete, análise de aspectos físicos, materiais, de pessoal e de gestão (tanto organizacional quanto de processos); aferição dos processos existentes, além de trabalho remoto, executado com o auxílio de sistema informatizado.

Como de praxe, o procedimento será consolidado por meio de uma ata de correição, na qual a equipe da Corregedoria-Geral apresenta achados e conclusões, bem como, se for o caso, recomendações que considerar necessárias, em face do aprimoramento dos serviços realizados pelo gabinete.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar