Sem categoria

Regionais do TCE vão oferecer ensino a distância para jurisdicionados

Três monitores de LCD de 55 polegadas, equipados com tecnologia “blu-ray” – um padrão de disco óptico criado para aplicações de vídeos e de armazenamento de dados em geral, cuja capacidade é até 10 vezes maior que a do DVD –, estão sendo adquiridos pelo Instituto de Estudos e Pesquisas Conselheiro José Renato da Frota Uchôa (IEP)/Escola de Contas e vão proporcionar a educação a distância nas unidades regionais do Tribunal de Contas (TCE-RO).

A informação foi passada pelo gerente-geral do IEP, Adão Franco, ao conselheiro Valdivino Crispim de Souza, vice-presidente no exercício da Presidência do TCE, durante inspeção, ontem (13), às obras da Regional, em Cacoal. Ele explicou ainda que os recursos para aquisição dos equipamentos vêm do Programa de Modernização do Sistema de Controle Externo (Promoex).

Financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Promoex tem como prioridade fortalecer os Tribunais de Contas que atuam nos estados, Distrito Federal e municípios, principalmente através da capacitação de pessoal, introdução de novos procedimentos e sistemas organizacionais e investimentos em informática.

Segundo Adão Franco, as novas ferramentas vão permitir ao TCE expandir consideravelmente suas ações de capacitação. “Com essa tecnologia, poderemos multiplicar o volume de gestores públicos e técnicos qualificados, oferecendo cursos com custo ainda mais baixo”, acrescenta.

De acordo com o gerente-geral do IEP, o sistema de teleconferências já vem sendo utilizado por outras instituições, com bastante êxito. “No nosso caso, vamos levar mais conhecimento para todo o Estado de Rondônia, modernizando a administração pública”, disse Adão Franco, que também é o coordenador-geral da Unidade Local do Promoex no TCE.

CAPACITAÇÃO

Após ouvir a novidade, o conselheiro Valdivino Crispim ressaltou que a oferta de capacitação técnico-operacional dos funcionários públicos municipais e dos gestores é uma das premissas do TCE, pois auxilia na boa fiscalização dos recursos públicos. “Trata-se de um novo modelo de atuação, que visa aumentar a capacidade de atendimento e expertise, que é o conhecimento que se adquire pela experiência e pela prática”, explica.

Responsável pelo projeto de implantação da Regional do TCE em Vilhena, Crispim explicou que a abertura das regionais, além de incentivar a capacitação, aproxima a Corte do jurisdicionado e, principalmente, da população. “Não há dúvida que as regionais dão mais efetividade ao trabalho de fiscalização. Não se concebe mais o Tribunal encastelado na Capital, é preciso que esteja no interior, atendendo às demandas da comunidade”, diz.

Nesse aspecto, o conselheiro lembra que o processo de interiorização, deflagrado na gestão do presidente do TCE, conselheiro José Gomes de Melo, vem se consolidando no interior, após a inauguração da primeira Secretaria Regional, em Vilhena, das obras em plena execução do prédio em Cacoal, da doação dos terrenos para as unidades de Ji-Paraná e Ariquemes. “Além de São Miguel do Guaporé, que também será contemplada nesse processo, que pretende descentralizar, de vez, os serviços da Corte”, conclui.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar