Sem categoria

Falhas em edital fazem MPC pedir a paralisação de 16 concorrências públicas do DER

Devido a irregularidades no edital, o Ministério Público de Contas (MPC) recomenda ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), de forma preventiva, a paralisação de 16 concorrências públicas deflagradas pela Superintendência de Compras e Licitações (Supel), para atender o Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER).

Com orçamento estimado em R$ 39.055.750,45, as concorrências têm como objeto a contratação de serviços de pavimentação asfáltica em diversos municípios rondonienses. A recomendação do MPC quanto à paralisação dos procedimentos licitatórios se baseia em apontamentos feitos pelo corpo técnico do próprio TCE.

As irregularidades anotadas dizem respeito à existência de cláusulas que podem comprometer a competitividade dos certames e à ausência no projeto básico de especificações consideradas imprescindíveis quanto aos serviços de base e sub-base e de limpa-roda.

Foi constatada, ainda, no projeto básico, carência de projeto de drenagem baseado em estudos hidrológicos e topográficos, bem como em projetos geométricos, de terraplenagem e pavimentação, restringindo-se à mera execução de meio-fio.

Pelo parecer ministerial, a ausência dessas especificações técnicas pode comprometer a boa execução e a qualidade da pavimentação asfáltica a ser contratada. O MPC destaca ainda a necessidade de adoção de solução técnica adequada para os editais, por conta das precárias condições atuais das rodovias do Estado.

Em decorrência das omissões constatadas no projeto básico e de exigências de caráter restritivo no edital, o Ministério Público de Contas recomenda ao TCE a suspensão das concorrências públicas, visando prevenir possível dano ao erário, pela potencial realização de obras de baixa qualidade e, consequentemente, de pouca durabilidade.

Artigos relacionados

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar