Notícias

Gabinete de conselheiro-substituto do TCE recebe 1ª correição de 2015

Depois da ação pioneira no âmbito das Cortes de Contas do Brasil, referente à realização, em 2014, de correição em gabinetes de conselheiros, o Tribunal de Contas de Rondônia (TCE-RO), por meio da Corregedoria-Geral, realiza neste ano procedimentos correcionais também nos gabinetes dos conselheiros-substitutos. A primeira atividade foi aberta nesta segunda-feira (2) no gabinete do conselheiro-substituto Davi Dantas da Silva.

O ato de abertura da correição – que atende o disposto na Portaria nº 1/2015/CG, publicada na edição 835 do Diário Oficial eletrônico do TCE rondoniense – teve a participação do conselheiro Valdivino Crispim de Souza, em substituição ao conselheiro corregedor-geral Edílson de Sousa Silva.

Ao explanar sobre a importância das correições que o TCE tem realizado em suas unidades internas, o conselheiro Crispim destacou os resultados obtidos, citando, como exemplo, o trabalho feito em seu próprio gabinete. “Pelo relatório que nos foi encaminhado, nota-se que é um trabalho profissional e de grande relevância para nossa Corte. E ainda mais por não ter intenção punitiva, mas, sim, orientadora”, informou.

Já o conselheiro-substituto Davi Dantas da Silva, cujo gabinete é o primeiro, entre os conselheiros-substitutos, a passar por correição, também manifestou sua satisfação com o procedimento, lembrando seus efeitos positivos, em razão do apontamento de possíveis desequilíbrios, bem como da busca pela excelência dos serviços prestados pelo Tribunal. “É importante para saber em que estágio estamos e o que pode ser melhorado”, disse.

Após os pronunciamentos, foi assinado o termo de instalação da correição. Foram ainda pontuadas pela equipe da Corregedoria-Geral questões sobre o procedimento, incluindo seus desdobramentos, entre os quais, levantamento e aferição da estrutura do gabinete, análise de aspectos físicos, materiais, de pessoal e de gestão (organizacional e também de processos); aferição dos processos existentes, além de trabalho remoto, executado com auxílio de sistema informatizado.

Artigos relacionados

Internet

Gabinete de conselheiro-substituto do TCE recebe 1ª correição de 2015

Depois da ação pioneira no âmbito das Cortes de Contas do Brasil, referente à realização, em 2014, de correição em gabinetes de conselheiros, o Tribunal de Contas de Rondônia (TCE-RO), por meio da Corregedoria-Geral, realiza neste ano procedimentos correcionais também nos gabinetes dos conselheiros-substitutos. A primeira atividade foi aberta nessa segunda-feira (2) no gabinete do conselheiro-substituto Davi Dantas da Silva.

 

O ato de abertura da correição – que atende o disposto na Portaria nº 1/2015/CG, publicada na edição 835 do Diário Oficial eletrônico do TCE rondoniense – teve a participação do conselheiro Valdivino Crispim de Souza, em substituição ao conselheiro corregedor-geral Edílson de Sousa Silva.

 

Ao explanar sobre a importância das correições que o TCE tem realizado em suas unidades internas, o conselheiro Crispim destacou os resultados obtidos, citando, como exemplo, o trabalho feito em seu próprio gabinete. “Pelo relatório que nos foi encaminhado, nota-se que é um trabalho profissional e de grande relevância para nossa Corte. E ainda mais por não ter intenção punitiva, mas, sim, orientadora”, informou.

 

Já o conselheiro-substituto Davi Dantas da Silva, cujo gabinete é o primeiro, entre os conselheiros-substitutos, a passar por correição, também manifestou sua satisfação com o procedimento, lembrando seus efeitos positivos, em razão do apontamento de possíveis desequilíbrios, bem como da busca pela excelência dos serviços prestados pelo Tribunal. “É importante para saber em que estágio estamos e o que pode ser melhorado”, disse.

A equipe da Corregedoria-Geral no início dos trabalhos no gabinete do conselheiro-substituto Davi Dantas
A equipe da Corregedoria-Geral no início dos trabalhos no gabinete do conselheiro-substituto Davi Dantas

 

Após os pronunciamentos, foi assinado o termo de instalação da correição. Foram ainda pontuadas pela equipe da Corregedoria-Geral questões sobre o procedimento, incluindo seus desdobramentos, entre os quais, levantamento e aferição da estrutura do gabinete, análise de aspectos físicos, materiais, de pessoal e de gestão (organizacional e também de processos); aferição dos processos existentes, além de trabalho remoto, executado com auxílio de sistema informatizado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar