Notícias

Escon/TCE encerra programação de cursos com capacitação que aborda controle interno e gestão de riscos

Com a realização do curso sobre controles internos, riscos e governança no setor público, aberto na última segunda-feira (12) e que se estendeu até quarta-feira (14), o Tribunal de Contas (TCE-RO), por meio da Escola Superior de Contas (Escon), encerra oficialmente sua programação de capacitações oferecidas no presente exercício.

Esse fato foi destacado pelo diretor geral da Escon, professor Raimundo Oliveira Filho, na abertura do curso, ao recepcionar os participantes e o instrutor, o professor Edison Franklin Almeida, que é auditor de controle externo do Tribunal de Contas da União (TCU).

“Ao longo do calendário de eventos realizados pela Escola Superior de Contas neste ano, foram contemplados não apenas servidores do Tribunal de Contas, mas de outros órgãos públicos do Estado, municípios e de instituições federais parceiras, garantindo desse modo a disseminação do conhecimento tanto no âmbito interno quanto externo”, acentuou o diretor geral.

Sobre a última capacitação de 2016, Raimundo Oliveira explicou que foram 20 horas-aula, ministradas pelo professor Edison Almeida, complementando a carga horária da capacitação, cujas primeiras 20 horas-aula foram ministradas na semana passada pelo também auditor do TCU, Ismar Barbosa Cruz.

Com 23 anos de experiência em auditoria e gestão no setor público federal, sendo 21 deles no TCU, Edison Almeida lembrou que a implantação de processos relativos à gestão de risco também no setor público é uma tendência. “No mundo privado, isso já ocorre com frequência e aos poucos está se buscando implantar nos órgãos públicos”, disse.

CURSO

O curso busca transmitir conceitos técnico-administrativos sobre controles internos, riscos e governança no setor público, apresentando particularidades dos órgãos de auditoria, em especial no que se refere ao apoio ao controle externo.

Outro objetivo do curso é o processo de gestão de riscos proposto na ISO 31000, despertando uma reflexão sobre caminhos alternativos para implantação de gestão de riscos no órgão, conhecendo e identificando situações de possível utilização de diversos formatos de ações de controle baseados em risco.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar