DestaqueInstitucionalMPCParceirosTCE-RO

No Dia Mundial da Educação, Gaepe-RO comemora um ano de existência e é destacado pelos resultados em favor da educação

O Gaepe já é considerado uma importante, pioneira e histórica iniciativa em Rondônia e que possibilita o alinhamento institucional quanto às medidas de urgência a serem adotadas na educação em função da pandemia de Covid-19

Organismo multi-institucional, que tem a participação de órgãos controle e do sistema de justiça, como o Tribunal de Contas (TCE-RO), os Ministérios Públicos de Contas (MPC-RO) e Estadual (MP-RO), o Tribunal de Justiça (TJ-RO) e a Defensoria Pública (DPE-RO), de gestores e representantes de conselhos e outras entidades da educação, assim como a coordenação do Instituto Articule e do Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB), o Gabinete de Articulação para Enfrentamento da Pandemia na Educação em Rondônia (Gaepe-RO) celebrou nessa quinta-feira (dia 28 de abril, data em que é comemorado o Dia Mundial da Educação) seu primeiro ano de existência.

Destinado a discutir uma agenda educacional comum a partir da qual todos os atores partícipes e envolvidos possam dialogar, criando um ambiente de segurança jurídica para que a tomada de decisões e as soluções sejam tempestivas e eficazes, o Gaepe-RO já é considerado uma importante, pioneira e histórica iniciativa em Rondônia, especialmente por possibilitar o alinhamento institucional quanto às medidas de urgência a serem adotadas na educação em função da pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19).

Inspirador de outras iniciativas institucionalizadas nos Estados de Goiás e do Mato Grosso do Sul e, mais recentemente, na última segunda-feira (26/4), do Gaepe-Brasil, também coordenado pelo CTE-IRB e o Instituto Articule, o Gaepe-RO, em função dos resultados que tem proporcionado, tem sido destacado por autoridades e representantes das instituições em eventos relacionados às políticas públicas educacionais.

ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL

A exitosa experiência do Gaepe-RO foi citada durante audiência na Assembleia Legislativa

Um exemplo foi a participação do secretário de Estado da Educação, Suamy Vivecananda de Abreu, em audiência da comissão geral na Assembleia Legislativa (ALE-RO) na última terça-feira (27/4). Convidado a prestar esclarecimentos sobre o retorno às aulas presenciais e sobre o plano de trabalho da Sesau em relação à vacinação de alunos e professores, o secretário citou a criação do Gaepe como uma oportunidade de articulação institucional em meio a momento tão crítico.

“Quanto a pandemia se instalou nacional e mundialmente, aqui em Rondônia tivemos a oportunidade de nos reinventar. Em 28 de abril de 2020, ou seja, há um ano, nos organizamos no Gaepe e, assim, planejarmos ações na área de educação, como o retorno às aulas presenciais”, disse Suamy, em sua apresentação aos parlamentares estaduais.

Entre outros pontos, o titular da Seduc mencionou o fundamental auxílio assegurado pelo Gaepe-RO, por meio de orientações, troca de experiências, capacitação e documentos, como notas técnicas e recomendações, entre outras. Entre as ações criadas para atender ao Gaepe-RO, citou a ideia de se criar um portal para lançar todas as informações, não só da rede estadual, mas também dos municípios, relativos à área educacional.

O secretário também abordou questões relacionadas aos aspectos psicológicos, sociais, sanitários, pedagógicos e orçamentário-financeiros, necessários para serem enfrentados pela gestão pública, a fim de garantir o retorno seguro das atividades escolares presenciais, principalmente, no que se refere aos protocolos de biossegurança que serão aplicados nas escolas.

VOLTA ÀS AULAS

Também o deputado Eyder Brasil, em sua fala durante o ato, citou a atuação do Gaepe-RO, especialmente a nota técnica emitida em que o Gabinete de Articulação cobrou a prioridade na vacinação dos professores e demais profissionais da educação, assim como o posicionamento de que deve haver prioridade e urgência na reabertura das escolas, ainda que em sistema híbrido, desde que exista manifestação favorável das autoridades sanitárias e que sejam implementados todos os protocolos para garantir a segurança sanitária no âmbito dos estabelecimentos escolares.

O retorno às aulas presenciais é um dos desafios enfrentados atualmente pelas autoridades e comunidade escolares e pauta constante do Gaepe-RO em suas reuniões. Na mencionada nota técnica, inclusive, são assinalados aspectos imprescindíveis no momento de se planejar a retomada às aulas em Rondônia.

Relativamente à área administrativa e de gestão, destacam-se critérios sanitários, como distanciamento social na rotina escolar e na sala de aula; disponibilização de lavatórios e de produtos de higienização; suporte socioemocional a professores, alunos e familiares; monitoramento contínuo da saúde dos integrantes da comunidade escolar; realização da Busca Ativa Escolar, assim como de novo processo de chamada escolar para levantamento de demanda reprimida, entre outras providências.

Outro item importante: a definição de qual modelo de ensino a ser adotado: intermitente (presencial em alguns dias); alternado (grupos alternando a frequência presencial); excepcional (apenas determinados grupos de alunos retornam presencialmente); integral (retorno de todos os alunos); virtual (casos em que não é possível o retorno presencial); ou híbrido (utilizando-se mais de uma estratégia).

UM ANO DE EXISTÊNCIA

Em breve balanço sobre as atividades do Gaepe-RO nesse primeiro ano de existência, durante manifestação no evento de lançamento do Gaepe-Brasil na segunda-feira (26/4), o presidente do TCE-RO, conselheiro Paulo Curi Neto, ressaltou que a experiência rondoniense do Gaepe se destaca não apenas pelos resultados, mas principalmente pelas perspectivas futuras.

Ele ainda citou a satisfação de verificar o êxito da experiência implementada no Estado de Rondônia, constituindo-se, o Gaepe, como um meio de articulação em que os representantes das instituições, de forma cooperada e dialógica, buscam soluções para superar os obstáculos estruturais da educação, especialmente em momento tão crítico quanto o atual.

Até por isso, Paulo Curi manifestou a ideia de que o Gabinete não seja mais provisório, e sim mas permanente, visando, desse modo, debater obstáculos históricos da educação em Rondônia, incluindo alternativas, boas práticas para que a gestão possa avançar de forma ainda mais rápida relativamente à educação.

Também a presidente do Instituto Articule, Alessandra Gotti – artífice do Gaepe-RO juntamente com o conselheiro do Articule, Ismar Cruz, e o presidente do CTE-IRB, Cezar Miola –, saudou o primeiro ano de existência da entidade, uma iniciativa que, segundo ela, mostra que Rondônia “caminha de forma sólida para uma melhoria em sua educação”.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar