Sem categoria

Biblioteca e Jurisprudência homenageia ex-servidora do TCE

O setor de Biblioteca e Jurisprudência do Tribunal de Contas de Rondônia (TCE-RO), que funciona no segundo andar do edifício-sede, levará o nome da ex-servidora Eleonora Joffely de Menezes. Ela gerenciou o setor de 1999 até 2007, quando teve de se afastar por problemas médicos, vindo a falecer em 2009.

A Resolução Administrativa, que dá o nome da ex-servidora à Biblioteca, já foi assinada e publicada pelo presidente do TCE, conselheiro José Gomes de Melo, após ser discutida e aprovada pelo Conselho Superior de Administração desta Corte de Contas e sacramentada pelo Pleno.

Instituída pela Lei Complementar 307, de 1º de outubro de 2004, a Biblioteca existe, de fato, desde a criação do TCE, em 1983, quando obras e títulos doados por conselheiros e servidores formavam o acervo. Em 1997, o setor, que se chamava Centro de Documentação e Biblioteca, foi reestruturado, passando a funcionar na sobreloja do edifício-sede da Corte.

Em 2009, contemplado com novo projeto e rebatizado como Biblioteca e Jurisprudência, o setor passou a funcionar no segundo andar do edifício-sede do TCE, onde possui amplo ambiente de pesquisa e estudo, além de sala de reunião e terminais com acesso à internet.

Parte integrante do Instituto de Estudos e Pesquisas (IEP) Conselheiro José Renato da Frota Uchôa, a Biblioteca é um dos setores responsáveis por estimular o desenvolvimento sócio-humano dentro do TCE, por meio do incentivo à leitura.

Para tanto, a Biblioteca conta com mais de 2.400 peças diversas, entre CDs, monografias, relatórios e livros, além da assinatura de mais de 100 títulos de periódicos especializados, nacionais e estaduais, notadamente nas áreas técnicas atinentes ao Tribunal de Contas (jurídica, contábil, fiscal, administrativa). Edições do Diário Oficial do Estado (DOE) – acervo desde 1982 – também estão à disposição.

ELEONORA

Formada em Biblioteconomia pela Fundação Universidade do Amazonas, Eleonora Joffely de Menezes veio para Porto Velho em 1995, depois de ter trabalhado na biblioteca do Sesc de Manaus, capital amazonense. O ingresso de Eleonora no serviço público ocorreu em 1995, quando assumiu a Diretoria da Divisão Didática do Centro de Estudos da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Em 1999, Eleonora foi cedida pela PGE para o Tribunal de Contas, a pedido do conselheiro Amadeu Machado, para, juntamente com o então gerente do Instituto de Estudos e Pesquisas (IEP), Luiz Guilherme Erse da Silva, organizar o Centro de Documentação e Biblioteca, que funcionava na sobreloja do edifício-sede.

Eleonora colaborou, ainda, no projeto de reestruturação física da Biblioteca. Ela, porém, não chegou a trabalhar no novo espaço, já que, em 2007, afastou-se do Tribunal de Contas para tratar da saúde e, logo depois, aposentou-se. A ex-servidora faleceu em 28 de outubro de 2009.

A bibliotecária teve participação ativa também no mundo acadêmico, ajudando na execução do projeto de reestruturação da biblioteca da Universidade Federal de Rondônia (Unir).

Trabalhou, ainda, nas bibliotecas da Faculdade de Ciências Administrativas e de Tecnologia (Fatec), da Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e de Letras de Rondônia (Faro) e das Faculdades Integradas Aparício Carvalho (Fimca).

Artigos relacionados

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar