Sem categoria

Regional TCE/Vilhena reduz custo e aumenta número de atendimentos em julho

Em seu segundo mês de atividades, a Secretaria Regional de Controle Externo do Tribunal de Contas (TCE-RO), em Vilhena, baixou ainda mais seu custo de operacionalização para a Corte. Em julho, os custos com a Regional representaram 1,63% dos gastos totais do TCE no mês, índice abaixo dos 1,88% que foram gastos em junho.

Paralelamente à redução do seu custo total para o TCE, a Regional ainda registrou, em julho, aumento das atividades, tanto fiscalizatórias quanto orientativas. No balanço divulgado pela unidade fiscalizadora foram executadas 100 ações em julho, mais que o dobro de junho.

A equipe técnica da Regional esteve em cinco municípios (Pimenteiras do Oeste, Corumbiara, Cerejeiras, Colorado do Oeste e Cabixi) para orientar gestores e servidores de prefeituras e câmaras sobre atos e fatos da administração pública.

Além disso, os servidores lotados na unidade realizaram atendimentos por telefone e pessoalmente, na sede da Regional, tirando dúvidas e esclarecendo os jurisdicionados sobre os assuntos inerentes à área de atuação do Tribunal de Contas.

Entre os atendimentos registrados pessoalmente, a secretária interina da Regional, Valdelice Nogueira Vieira, cita a visita do prefeito de Vilhena, Zé Rover, e seu secretariado à unidade regional do TCE, a fim de expor situações existentes na Prefeitura e solicitar orientação sobre questões relativas às áreas de educação, finanças e saúde.

Foram realizadas também três fiscalizações, sendo duas em parceria com o Ministério Público do Estado na frota de ônibus escolares dos municípios de Vilhena e Chupinguaia, e uma de apoio à 5ª Diretoria Técnica em uma auditoria de gestão na Prefeitura de Vilhena.

BAIXO CUSTO

A redução do custo do TCE/Vilhena, segundo o coordenador do projeto de implantação da unidade regional, conselheiro Valdivino Crispim de Souza, já era esperada e demonstra uma tendência de se estabilizar em índice ainda menor, por volta de 1,5% do custo orçamentário total do Tribunal de Contas.

“É um custo baixíssimo, levando-se em conta o leque de oportunidades e benefícios que a Regional está abrindo e vai abrir tanto para os jurisdicionados quanto para o Tribunal de Contas, que agiliza suas atividades de fiscalização, tornando-as mais eficientes, e, ao mesmo tempo, incrementa suas ações pedagógicas”, afirma Crispim.

O conselheiro lembrou, ainda, que, em termos de material humano, a Regional conta com cinco servidores, divididos em duas seções internas: Fiscalização, composta de uma unidade de Controle Externo, e Administração, com uma unidade de Protocolo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar