Sem categoria

Saúde é tema durante audiência entre TCE e ALE

Em audiência no Tribunal de Contas de Rondônia (TCE-RO), nesta sexta-feira (04), o presidente da Assembléia Legislativa (ALE), Valter Araújo, defendeu o diálogo aberto entre todas as instituições do Estado. O presidente do Poder Legislativo foi recebido no gabinete da presidência pelo presidente em exercício da Corte, conselheiro Valdivino Crispim de Souza, pelos conselheiros José Euler Potyguara Pereira de Mello, Francisco Carvalho da Silva, Wilber Carlos dos Santos Coimbra, e pela procuradora geral do Ministério Público de Contas, Érika Patrícia Saldanha de Oliveira.

Durante a audiência, o presidente em exercício do TCE disse estar otimista com a disposição da atual mesa diretora da Assembléia em contribuir para o desenvolvimento do Estado e o bem estar do cidadão. Reafirmou que a Corte sempre foi um parceiro do Parlamento e que os deputados encontrarão um Tribunal de Contas transparente e solidário ao processo legislativo.

SAÚDE

Um dos assuntos tratado foi a atual condição da saúde pública oferecida ao cidadão rondoniense pelo Estado. O presidente da ALE entende que, neste momento, uma das soluções para essa questão, passa por um esforço concentrado, através de um pacto, envolvendo todas as instituições públicas. “Precisamos estabelecer a responsabilidade de cada um neste processo, pois, somente com essa união, é que poderemos começar a clarear a situação caótica em que se encontra a saúde pública em Rondônia”, disse Valter Araújo.

O conselheiro Valdivino Crispim sugeriu também como uma alternativa a negociação da dívida do Banco do Estado de Rondônia (Beron), que é paga mensalmente à União pelo Estado. “Minha sugestão é abrir negociação com o governo federal para a criação de um fundo que receba esse dinheiro, para ser revertido à saúde. Não queremos o perdão da dívida, mas que se transforme em benefício para o Estado, eliminando assim, a dívida de uma forma indireta”, explanou o conselheiro. De acordo com o conselheiro Crispim, o Estado deixa de arrecadar R$ 15 milhões/mês com esse pagamento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar