Sem categoria

Projeto “Corte Cidadã” leva conhecimento sobre o TCE a alunos de Guajará e Nova Mamoré

Paralelamente ao curso de aperfeiçoamento e operacionalização do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), realizado pelo Tribunal de Contas em Guajará-Mirim, foi apresentado, nessa segunda-feira (21), em escolas estaduais daquele município o projeto “Corte de Contas Cidadã”.

O projeto de iniciativa do Instituto de Estudos e Pesquisas Conselheiro José Renato da Frota Uchôa (IEP) e da Escola de Contas tem como objetivo levar à classe estudantil conhecimentos e ações desenvolvidas pelo Tribunal.

Em Guajará, o projeto contemplou alunos do segundo e terceiro anos do ensino médio de três escolas públicas: Simon Bolívar, Rocha Leal e Paulo Saldanha. Para esta terça-feira (22), está programada apresentação nas escolas Salomão Silva e Casimiro de Abreu, ambas no município de Nova Mamoré.

Mais de 100 alunos participaram das palestras, que foram ministradas pelos servidores Cláudio Uchôa e José Lúcio Albuquerque. Durante a explanação, eles apresentaram a missão do Tribunal de Contas, suas atribuições, os procedimentos adotados pela Corte e as formas que a sociedade tem de acesso ao órgão.

Os palestrantes também buscaram despertar nos estudantes o interesse e a conscientização para a importância de seu envolvimento no controle dos gastos públicos, tendo o Tribunal de Contas como parceiro na consolidação do controle social.

Foi repassado ainda aos alunos o canal que a sociedade tem para entrar em contato com o TCE, que é sua Ouvidoria, que atende através dos seguintes contatos: telefone (69) 3211-9058, e-mail ouvidoria@tce.ro.gov.br, carta ou então pessoalmente na sede do TCE, que fica na avenida Presidente Dutra, 4.229, bairro Olaria, Porto Velho (RO), CEP: 76.801-327.

INICIATIVA

Encerrada a palestra na Escola Simon Bolívar, a supervisora Rosinéia Tomé dos Santos Guimarães aproveitou para ressaltar a iniciativa do Tribunal de Contas em disseminar seus conhecimentos e divulgar suas ações para o público estudantil.

“Essas palestras são úteis até mesmo para nós que, muitas vezes, não sabemos de todas as funções e atribuições das nossas instituições”, disse, ressaltando que, “após a palestra, os alunos comentaram que agora sabem que existe um órgão que fiscaliza a aplicação dos recursos públicos.”

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar