Sem categoria

Diretor do Deosp fala de obras e ocupação do CPA durante reunião com TCE

O presidente do Tribunal de Contas (TCE-RO), conselheiro José Euler, acompanhado do conselheiro Valdivino Crispim, foi recebido em audiência nesta sexta-feira (5), no Complexo Rio Madeira (também chamado CPA), pelo diretor-geral do Departamento de Obras e Serviços Públicos (Deosp), Lúcio Mosquini, que dirige ainda o Departamento de Estradas de Rodagem e de Transporte (DER-RO).

Entre os assuntos abordados, esteve o processo de construção do CPA, cujas obras, de acordo com o diretor-geral do Deosp/DER, devem ser finalizadas ainda no segundo semestre. Quanto à ocupação do complexo, que ocorre concomitantemente às obras, Mosquini adiantou que 2.300 servidores do Estado já foram transpostos para as novas dependências físicas.

“Até julho serão transferidas a Secretaria de Finanças e a Procuradoria-Geral, perfazendo um total de 75% do complexo ocupado”, informou o diretor-geral, acrescentando a economia que tal medida trará aos cofres estaduais, devido à redução de locação de imóveis, bem como energia, combustível, entre outros.

Outro ponto enfocado na reunião foram os benefícios oportunizados ao DER e ao Deosp com a utilização do pregão eletrônico, medida de acordo com determinação e entendimento pacificado pelo TCE sobre o assunto. Foram apresentados números relativos não só ao aumento de interessados em participar das licitações, como também na redução dos valores, através da oferta de preços mais vantajosos à administração pública.

Nesse aspecto, o conselheiro Euler lembrou que o uso do pregão eletrônico tem beneficiado toda a administração pública rondoniense, citando, como exemplo, a redução dos valores referentes à aquisição de gases medicinais, de R$ 17,45 para R$ 0,44. Já o conselheiro Crispim lembrou que essa medida, além de vantajosa, impede o aviltamento do dinheiro público.

O presidente do TCE falou ainda sobre a atuação do órgão na análise prévia dos editais de licitação. “Nessa avaliação, o que ocorre, muitas vezes, é que o Tribunal aponta o erro, o jurisdicionado corrige, mas, no edital seguinte, esse mesmo erro volta ser repetido”, afirmou, lembrando que a prática do TCE em apreciar as peças editalícias tem contribuído para a correta aplicação dos recursos públicos.

Ainda durante a reunião, os conselheiros e o diretor-geral do Deosp/DER abordaram soluções e cooperação mútua entre as instituições em áreas diversas, como capacitação, projetos, visando à melhoria da gestão pública em seu todo. Ao final, os membros do TCE foram convidados pelo gestor para conhecerem algumas das dependências do Complexo Rio Madeira.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar