Sem categoria

Servidores recebem treinamento sobre fluxograma de processos do TCE

Dentro das medidas necessárias à migração para o processo eletrônico no Tribunal de Contas de Rondônia, atendendo, assim, objetivo traçado no Plano Estratégico 2011/15 da Corte relativamente à redução do tempo de apreciação e julgamento de processos, foi ministrado nessa segunda-feira (19) um treinamento aos servidores da área de Controle Externo e da Divisão de Documentação e Protocolo, com foco na operacionalização do procedimento previsto na Resolução nº 146/2013/TCE-RO, qual seja, o fluxograma de macroprocessos e processos do Tribunal.

A capacitação, que posteriormente contemplará servidores de outras unidades, a exemplo de gabinetes, Secretaria de Processamento e Julgamento, Corregedoria-Geral e Ouvidoria, foi realizada na sala II da Escola Superior de Contas. Os conhecimentos foram repassados pelo conselheiro-substituto Francisco Júnior, pelo secretário-geral de Controle Externo, José Luiz, e pelos servidores Francisco Barbosa, Beatriz Raposo e Maria Auxiliadora.

A abertura do treinamento nessa segunda-feira contou com a participação do conselheiro Edílson de Sousa Silva, que presidiu a comissão intersetorial responsável pelo trabalho de mapeamento e definição do fluxograma dos macroprocessos e processos que compõem a resolução do TCE-RO.

Além citar a importância do fluxograma – instrumento que permite, entre outros benefícios, padronizar os ritos processuais, agilizando e racionalizando os procedimentos fiscalizatórios –, o conselheiro frisou o esforço empreendido pelo Tribunal, a fim de disponibilizar aos servidores as ferramentas necessárias para a melhoria do seu trabalho, especificamente em relação à área-fim.

“O Tribunal tem investido em seu capital humano, na capacitação, também na área de TI, ampliando e melhorando seu parque tecnológico. E, como resultado disso, alcançamos reconhecimento nacional, como órgão de referência, devido à excelência do trabalho que realizamos. Mas não podemos parar, é preciso melhorar mais, e o fluxograma é peça muito importante para isso”, disse.

INTERNACIONAL

Ainda durante o treinamento, o conselheiro Edílson de Sousa, que participou este mês em Belo Horizonte da 1ª Capacitação Internacional dos Tribunais de Contas em SAI-PMF – ferramenta que faz uma avaliação objetiva e qualitativa do desempenho da entidade de controle e seu autodiagnóstico com referência nas normas internacionais –, falou do interesse internacional, manifestado por meio de representantes de entidades como o Banco Mundial, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bird), a Intosai (Organização Internacional das Entidades Superiores de Auditoria), na melhoria dos órgãos de controle externo do Brasil e de outros países de língua portuguesa. “O nosso Tribunal, até pelos avanços que conseguimos, está diretamente envolvido nesse processo, que demandará não só monitoramento e avaliação, como também investimento por parte desses organismos internacionais”, acentuou.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar