Notícias

“TCE que queremos no futuro” marca debates com Alta Direção sobre PPA 2020/2023 e Plano Estratégico 2021/2025

O Plano Plurianual 2020/2023 e o próximo ciclo do Plano Estratégico do Tribunal de Contas, horizonte 2021/2025, foram os assuntos principais enfocados na reunião realizada nessa segunda-feira (8), na sede da instituição, por membros e gestores do TCE e do Ministério Público de Contas (MPC).

Coordenada pela Secretaria de Planejamento do TCE, a atividade contou com apresentação, análise e debate sobre ações, projetos e políticas da Corte a serem contempladas no PPA 2020/2023, tendo em vista o prazo legal para encaminhamento dessa peça ao Poder Executivo, responsável, por sua vez, pelo envio do PPA estadual ao Poder Legislativo.

Paralelamente às discussões a respeito do Plano Plurianual, quadriênio 2020/2023. o secretário de Planejamento, Juscelino Vieira, disse que estão sendo gestadas pelo TCE ações com foco no repasse de informações sobre o terceiro ciclo do Plano Estratégico da Corte de Contas, que enfocará o horizonte 2021/2025.

A premissa central, de acordo com ele, será estimular, principalmente, todos os agentes públicos da Corte a refletirem sobre “o Tribunal de Contas que queremos para 2025”.

Para tanto, torna-se fundamental abordar questões relativas ao Planejamento Estratégico 2021/2025, haja vista a importância dessa peça gerencial, cuja segunda edição, em plena execução, encerra-se no exercício 2020. Todos os servidores poderão participar da construção do novo planejamento, por meio de contribuições, opiniões, comentários e sugestões a serem manifestados em futuras ações e atividades que serão desenvolvidas.

“É importante e necessária haver a participação de todos, para que possamos construir um plano estratégico ainda mais efetivo, moderno e alinhado ao que se pretende para o Tribunal no próximo ciclo”, ressalta Juscelino Vieira, orientando os interessados a já terem em mente, como questão fundamental, “qual o Tribunal de Contas que queremos para 2025”: “Assim, fica mais fácil organizarmos todo o processo de construção coletiva do plano estratégico”.

AVANÇOS E MELHORIAS

Sobre a questão, o conselheiro presidente Edilson de Sousa Silva, inicialmente, salientou a relevância assumida pelo planejamento estratégico no âmbito do Tribunal, desde os resultados obtidos com o Plano Estratégico 2011/2015, até o atual plano, que abarca o período 2016/2020.

Para ele, os avanços e melhorias obtidos pelo TCE em sua gestão estratégica – entre os quais, a condição de órgão de referência e excelência em sua área de competência, segundo avaliação da própria Associação dos TCs (Atricon), por meio do Marco de Medição de Desempenho (MMD-TC) – dão um suporte positivo e também servem de estímulo para o engajamento de todos os membros, servidores e demais agentes públicos envolvidos na Corte no processo de criação do próximo plano estratégico.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar