Sem categoria

Clima de emoção marca homenagem de servidores ao conselheiro Rochilmer

As homenagens ao conselheiro Rochilmer Mello da Rocha, que está se despedindo do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE-RO), em razão do prazo-limite para a aposentadoria compulsória do serviço público, prosseguiram na manhã desta sexta-feira (13), no hall de entrada do prédio anexo Conselheiro Jonathas Hugo Parra Motta, com uma confraternização que reuniu membros do Conselho da Corte, servidores e convidados.

Na quinta-feira, durante a sessão do Pleno do TCE, conselheiros e a Procuradoria Geral da Corte de Contas já haviam rendido tributo a Rochilmer Mello. Nesta sexta-feira, foi a vez dos servidores protagonizarem momentos de emoção, demonstrando seu carinho ao conselheiro, por meio de dedicatórias e mensagens.

Inicialmente coube ao presidente do TCE, José Gomes de Melo, saudar o homenageado, destacando seu empenho e dedicação ao ofício abraçado desde 1987. “Foi o primeiro conselheiro a cumprir suas metas para o exercício deste ano, enviando ao plenário todas as prestações de contas de município que estavam sobre sua incumbência”, comentou.

O conselheiro presidente voltou a lamentar o afastamento de Rochilmer. “E isso justamente em pleno vigor de sua capacidade intelectual. No entanto, assim manda o dispositivo constitucional, e tem de ser cumprido”, acrescentou.

Presente à homenagem, o conselheiro Edílson de Sousa Silva disse que sentia um misto de tristeza e alegria. “Estamos, eu e todos os servidores do Tribunal, tristes por perdê-lo, mas felizes por devolvê-lo ao seio de sua família. Contudo quero reafirmar: Rondônia não pode abrir mão de homens de honra e fibra, como o conselheiro Rochilmer”, frisou.

Logo depois, a equipe de trabalho, com diversos servidores que acompanharam Rochilmer Mello da Rocha ao longo dos 22 anos de serviço no TCE, fez uma homenagem ao conselheiro, destacando sua serenidade, profissionalismo e cavalheirismo no trato com todos e com as questões inerentes aos jurisdicionados.

As três entidades que representam os servidores do TCE – a Associação dos Servidores do Tribunal de Contas (ASTC), atualmente presidida por Luiz Gomes da Silva Filho, a Associação dos Profissionais de Controle Externo (APCE), sob a presidência de Jorge Eurico Aguiar, e o Sindicato dos Servidores do Tribunal de Contas de Rondônia (Sindcontas), presidido por Jair Dandolini Pessetti – entregaram uma placa com dizeres alusivos à trajetória vitoriosa do homenageado na vida pública.

Entre os convidados, o prefeito de Ji-Paraná, José de Abreu Bianco, também reforçou a importância da atuação do conselheiro Rochilmer para a consolidação do desenvolvimento do Estado.

Já o deputado estadual Silvernani Santos lembrou-se de quando o nome de Rochilmer Mello foi indicado para ocupar o cargo de conselheiro do TCE. “Era deputado nessa época e aprovei plenamente seu nome, por considerar que era uma indicação justa e que serviria para estreitar os laços entre os poderes”, ressaltou.

Por fim, discursou o homenageado. Acompanhado pela esposa, Margarida de Paula Rocha, e pelos filhos, Rochilmer relembrou os três pilares que nortearam sua trajetória no TCE: o desafio por assumir uma função de tanta importância para o estado de Rondônia; o compromisso em relação aos seus pais, Joaquim Pereira da Rocha e Noêmia Mello da Rocha; e a gratidão por substituir o conselheiro José Renato Uchoa, segundo ele, um exemplo de humildade e empreendedorismo.

“Sempre exerci minha função olhando para os interesses maiores do estado de Rondônia”, acentuou. E prosseguiu: “Quero, ainda, agradecer a tolerância e a compreensão de todos, e deixo a cargo dos servidores e da sociedade julgarem se cumpri bem meu papel”.

Trajetória

Rochilmer Mello da Rocha é filho de Joaquim Pereira da Rocha, seringalista pioneiro e descobridor da cassiterita na região, e de Noêmia Mello da Rocha, professora. Nasceu em 22 de novembro de 1939, em Humaitá, então distrito de Calama, no estado do Amazonas.

No auge da mocidade, foi para o Rio de Janeiro, onde estou Direito na Universidade do Estado da Guanabara, atual UERJ. Também no Rio, atuou como jornalista no “Correio da Manhã” e foi, ainda, colunista no jornal “O Dia”.

Formou-se em 1963, retornando para Porto Velho no ano seguinte, quando passou a se dedicar à advocacia. Em 1966, foi redator-chefe do jornal “O Guaporé”, função que exerceu até 1975, sendo um dos fundadores do jornal “A Tribuna”, órgão que dirigiu até 1987.

Ainda na década de 1970, exerceu o cargo de secretário-geral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), entre os anos de 1974 e 1976. Em janeiro de 1980, assumiu a chefia da Casa Civil do então Território Federal do Guaporé, já em processo de transformação em Estado.

Quando ocorreu a aposentadoria do conselheiro José Renato da Frota Uchoa, a primeira vaga aberta dentre os membros fundadores do TCE, Rochilmer Mello da Rocha estava atuando na iniciativa privada, sem vinculações com a administração pública. Desse modo, em 18 de setembro de 1987, tornou-se conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia.

Ainda em 1987, foi eleito para presidir a Corte de Contas, tendo sido reconduzido à presidência no ano seguinte. Exerceu um terceiro mandato de presidente, no biênio 2002-2003. Ocupou, também, os cargos e funções de corregedor e presidente da 1ª e da 2ª Câmaras.

É casado com Margarida de Paula Rocha, tendo quatro filhos: Rochilmer Mello da Rocha Filho, que é advogado; Ana Lúcia Rocha Rangel, médica; Daniela de Paula Rocha, economista, e Maria Lisieux de Paula Rocha, dentista, e cinco netos: Lucas, Bruna, Gabriel, Antonio Felipe e Ana Luíza.

Clique na imagem acima para visualizar a galeria de fotos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar