Sem categoria

Dicas e regras gramaticais são repassadas durante palestra no TCE

Servidores do Tribunal de Contas, de órgãos do Judiciário, do Executivo e do Ministério Público, além de acadêmicos e pessoas interessadas em aprender sobre redação forense e gramática, tiveram, nesta segunda-feira (18), no auditório do TCE, a oportunidade de participar de uma palestra com o professor e jurista Eduardo Sabbag.

Conhecido nacionalmente, Sabbag está em Porto Velho para ministrar um curso aos servidores do Tribunal de Contas durante toda esta semana. Porém, por iniciativa própria, decidiu realizar a palestra na manhã desta segunda-feira, a fim de disseminar o conhecimento que detém sobre os temas.

Essa disposição do instrutor foi destacada, na abertura da apresentação, pelo conselheiro Wilber Coimbra, presidente do Instituto de Estudos e Pesquisas Conselheiro José Renato da Frota Uchôa (IEP), setor do TCE que, juntamente com a Escola de Contas, organiza o curso. “Louvo essa iniciativa do professor Sabbag por fazer brotar em todos nós a inquietude de querer aprender mais e mais”, disse o presidente do IEP.

Já Sabbag iniciou sua participação, destacando a importância do conhecimento da língua portuguesa e o uso correto de suas regras. “Um texto com erros de português desqualifica não apenas o trabalho do profissional que o redigiu, mas da própria instituição ou órgão na qual ele atua”, acentua.

Com sua peculiar técnica de ensino, o palestrante comparou um texto bem redigido a “uma obra de arte”. Abordou, ainda, os pilares para a construção textual (concisão, frases e parágrafos curtos, entre outros), além de enfocar problemas recorrentes no uso da crase, na regência, na concordância e na utilização da vírgula.

Sobre o novo acordo ortográfico, cujos efeitos já estão valendo desde 2009, Sabbag lembrou que sua facultatividade expira no final de 2012: “É importante que, durante esse período de transição, todos assimilem as novas regras, a fim de que não tenham problema, quando terminar a coexistência da norma ortográfica atual e a nova regra estabelecida.”

Em relação ao acordo, o palestrante recomendou o uso do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp), disponibilizado pela Academia Brasileira de Letras em sua página na internet (www.academia.org.br) e considerado referência quanto à grafia e classificação dos vocábulos da língua portuguesa.

Sabbag também projetou alguns eslaides com dúvidas, dicas e erros recorrentes não só quanto à redação forense, mas nos textos de uma forma geral. Ao final, incitou os participantes a serem “curiosos obstinados” em relação ao aprendizado da linguagem e sua aplicabilidade no ambiente jurídico.

No link abaixo, está disponível o material da palestra desta segunda-feira, realizada pelo professor Sabbag, no TCE.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar