Notícias

Mutirão faz TCE-RO reduzir estoque de processos de inativação de pessoal e pensões

Em tempo recorde e antes do prazo determinado, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RO) finalizou o mutirão voltado à análise de processos de inativação e pensões civis e militares, deflagrado para atender objetivos institucionais e estratégicos do órgão, especialmente a redução do estoque processual.

O mutirão foi desenvolvido em três etapas, com a última prevista para se encerrar nesta terça-feira (20), mas efetivamente cumprida na última sexta-feira (16), com todos os processos instruídos e analisados em pouco mais de quatro meses de trabalho de uma força-tarefa composta por 24 servidores de diversos setores e 9 estagiários, capitaneados pela Secretaria Geral de Controle Externo, via Diretoria de Controle de Atos de Pessoal (DCAP).

Em reconhecimento ao esforço e empenho de todos que participaram do mutirão, o conselheiro presidente Edilson de Sousa, juntamente com o conselheiro José Euler Potyguara, cuja gestão, encerrada em 2015, inspirou a formação do mutirão, além dos conselheiros-substitutos Omar Dias, Francisco Júnior e Erivan Oliveira e do secretário-geral de Controle Externo, José Luiz, se reuniram na última sexta-feira com a equipe que participou da força-tarefa.

Nos pronunciamentos, além da menção ao feito histórico alcançado pelo TCE, destacou-se, entre outros pontos, a dedicação, o comprometimento e a entrega dos servidores e estagiários no cumprimento de todas as etapas do mutirão, a cuja nominata, de acordo com a Presidência, será feita concessão de elogio formal, com publicação no Diário Oficial eletrônico, em razão do trabalho de excelência desenvolvido.

A reunião ainda teve momentos de reflexão, pelo sentimento do dever cumprido e do obstáculo superado; de inspiração, na fala da estagiária Maria Clara Pereira, ao abordar o aprendizado e a gratidão dos estagiários em ter participado da ação; e de emoção, na menção, pelo secretário José Luiz, da participação atenciosa, empenhada e motivadora no mutirão do saudoso conselheiro-substituto Davi Dantas, falecido em junho passado.

Por fim, enfatizando a união de forças verificada no mutirão, o conselheiro presidente Edilson de Sousa, em análise inspirada no sentimento olímpico, comparou a ação recém-finalizada ao movimento sincrônico verificado em um barco de competição: “Nesse grande barco que é o nosso Tribunal de Contas, remamos todos juntos, em sincronia, e obtivemos esse resultado, esvaziando os armários e reduzindo nosso estoque de processos, trazendo assim bons frutos para toda a administração pública rondoniense”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar