Sem categoria

Virtudes do novo conselheiro são destacadas por autoridades

Autoridades do Estado presentes à cerimônia de posse do novo conselheiro do Tribunal de Contas de Rondônia (TCE-RO), Wilber Carlos dos Santos Coimbra, realizada nesta quinta-feira (1º), no auditório da Corte de Contas, destacaram suas virtudes.

Inicialmente, o presidente da Assembleia, deputado Neodi Carlos, comentou sobre o fato de a Casa de Leis ter empossado, durante sua gestão, dois ex-deputados como conselheiros – além de Wilber, o conselheiro Francisco Carvalho da Silva também era deputado antes de tomar posse no TCE.

“Isso mostra os novos tempos vividos pelo Poder Legislativo, que passou por momentos difíceis, mas hoje é um poder atuante, independente e com novo conceito”, disse, acrescentando que “a Assembleia perde um grande deputado, mas o Tribunal de Contas ganha um excelente conselheiro”.

O governador Cahulla, por sua vez, falou da satisfação em ter chancelado o nome de Wilber Coimbra para assumir o cargo no TCE. “Parabenizo a Assembleia por ter escolhido vossa excelência, e queria pedir: seja leve com quem está administrando dentro da lei, mas tenha a mão pesada para coibir aqueles que não estão aplicando corretamente os recursos públicos”, frisou.

Para o representante do Tribunal de Justiça, juiz de Direito Francisco Borges Ferreira Neto, a posse de Wilber Coimbra como conselheiro do TCE representa a consolidação do processo democrático em Rondônia. “É uma pessoa que se preparou para os desafios, buscou conhecimento, e certamente dará grande contribuição ao Tribunal de Contas”, disse.

NOVA ETAPA

Segundo o presidente do TCE, conselheiro José Gomes de Melo, a partir da posse na Corte, nesta quinta-feira, começa uma etapa singular na trajetória de Wilber Coimbra no serviço público, ressaltando que “sua missão no TCE será diferente da de deputado, mas tão nobre quanto”.

Como membro do TCE, o novo conselheiro terá, entre outras atribuições, a de relatar, discutir e votar matérias relacionadas à emissão de parecer prévio sobre as contas anuais do governador e dos municípios rondonienses e ao julgamento das contas dos administradores e demais responsáveis pela utilização de recursos públicos em âmbito estadual e municipal.

Também terá de votar processos que tratam da apreciação de atos de pessoal, de denúncias de irregularidades em órgãos públicos, apresentadas ao Tribunal de Contas, além de consultas formuladas ao órgão por administradores estaduais e municipais.

Os conselheiros têm as mesmas garantias, prerrogativas, impedimentos, vencimentos e vantagens dos desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado, mandato vitalício e não podem dedicar-se à atividade político-partidária.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar