Sem categoria

Prefeitos do Vale do Jamari destacam benefícios proporcionados com abertura de regional do TCE

Com sua inauguração definida para a próxima segunda-feira (7), a Secretaria Regional de Controle Externo do Tribunal de Contas em Ariquemes já é avaliada pelos gestores dos 11 municípios que serão atendidos pela unidade como um importante fator para o fortalecimento da administração pública municipal na região do Vale do Jamari.

Em Theobroma, o prefeito José Lima comenta que o encurtamento da distância – Ariquemes fica a pouco mais de 100 quilômetros de Theobroma, enquanto Porto Velho, sede do TCE, está a quase 300 – propiciará, além de economia, facilidade para os municípios. “Quando falaram que ia ter uma regional do Tribunal de Contas aqui, eu achei excelente, porque vai facilitar muito”, disse.

Nesse mesmo sentido, o prefeito de Alto Paraíso, Romeu Reolon, lembra que a distância dos municípios do interior para a Capital acaba sendo um obstáculo, já que algumas dúvidas podem ser melhor esclarecidas de forma presencial: “Por isso, eu vejo essa aproximação do Tribunal como um fator importante para a melhoria da administração municipal”.

Já no município de Vale do Anari, a presença física do TCE com a inauguração da regional foi comentada pelo prefeito Edimilson Maturana com foco no aspecto pedagógico: “Os municípios de pequeno porte, às vezes, perdem bons técnicos em áreas importantes e não têm como repor pela falta de pessoal capacitado. É uma realidade que agora pode ser corrigida com a atuação do Tribunal, através da sua regional, na realização de treinamentos e cursos”.

Comungando da mesma opinião que Maturana, o prefeito de Monte Negro, Eloísio da Silva, espera melhoria para as administrações municipais com a aproximação do TCE: “Felizmente, os tempos mudaram e hoje o Tribunal não vem mais só para punir o gestor, mas também orientá-lo. Isso é de suma importância”, afirma.

Para o gestor de Campo Novo de Rondônia, Marcos Roberto Martins, a Regional do TCE, cujo prédio é composto por salas para as equipes técnica e de apoio e ainda por um auditório com 150 lugares, beneficiará os jurisdicionados, principalmente, na questão da informação: “Nós, gestores, e nossos técnicos sempre temos dúvidas e o Tribunal de Contas é o órgão certo para nos dizer como fazer a coisa da forma correta”.

O prefeito de Cujubim, Ernan Amorim, acredita que um dos reflexos imediatos da presença do TCE na região será a redução dos erros e falhas cometidos nas prefeituras. “Com o Tribunal instalado bem perto de nós, nossas dúvidas poderão ser esclarecidas com maior rapidez”, acentua.

Em Rio Crespo, o prefeito Geraldo Sanvido Júnior diz que, quando assumiu a Prefeitura, em substituição à prefeita Ediane Moreira, que faleceu em abril de 2010, buscou se aproximar do Tribunal de Contas, a fim de aprofundar seus conhecimentos sobre a administração pública: “Agora vejo que o Tribunal é que está se preocupando em se aproximar do gestor e do cidadão, o que é ótimo”, diz.

PROXIMIDADE

A possibilidade do contato direto em um município mais próximo com o corpo de profissionais da área técnica do TCE para a solução de questionamentos foi destacada pelo prefeito de Machadinho d’Oeste, Mário Alves: “A fiscalização mais presente do Tribunal evita um erro futuro, porque, tudo o que for fiscalizado agora, dá ao gestor a oportunidade de corrigir e não ter suas contas reprovadas no futuro”.

Já o prefeito de Buritis, Elson Montes, considera correta a atitude do TCE de abrir unidades nos polos regionais: “Para mim, isso representa um avanço, pois vai trazer reflexos positivos para os prefeitos, uma vez que permitirá a melhoria da fiscalização e facilitará a obtenção de informações e orientações”.

Da mesma forma, o prefeito de Cacaulândia, Edir Alquieri, destaca os efeitos positivos da maior aproximação do TCE com os municípios da região: “A fiscalização é de suma importância, pois nos dá segurança e tranquilidade nos atos que tomamos como administrador do dinheiro que é do povo”, salienta.

Assim como os demais chefes de Executivos Municipais, o prefeito do município anfitrião da regional, Márcio Raposo, também só vê vantagens na presença física do Tribunal de Contas no Vale do Jamari. “Esse é um processo que tem dado certo em Vilhena e Cacoal e agora Ariquemes e o Vale do Jamari recebem, de braços abertos, a unidade do Tribunal, que, tenho certeza, vai nos ajudar muito”, conclui.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar