Sem categoria

Plano de Segurança Institucional é apresentado no TCE

O Plano de Segurança Institucional (PSI) do Tribunal de Contas (TCE) foi apresentado nesta quarta-feira (6) aos membros, servidores e estagiários. O evento contou, ainda, com palestra do oficial da reserva do Exército Brasileiro, André Costa Soares, especialista em inteligência operacional e segurança institucional.

O presidente do TCE, conselheiro José Euler Potyguara Pereira de Mello, fez a abertura da apresentação, enfatizando que o PSI, aprovado pelo Conselho Superior de Administração, através da Resolução nº 90/TCE/2012, visa estabelecer princípios diretores de segurança institucional para prevenção de ações adversas de qualquer natureza contra pessoal, áreas, instalações, documentos, materiais e sistemas de informações do Tribunal.

Já o corregedor do TCE, conselheiro Edílson de Sousa Silva, explicou que a Corregedoria, além de responder pelos atos de correição, também é responsável pelas questões de segurança de tecnologia da informação (TI) e de segurança institucional. Disse ainda que o PSI serve para proteger não só os membros da Corte, mas todos os servidores em seu ambiente de trabalho.

A servidora Frieda Sousa, antecedendo o palestrante, fez uma rápida abordagem sobre o tema “Quebra de Paradigmas”.

Ao iniciar sua palestra, André Soares parabenizou o Tribunal de Contas pela implantação do seu PSI. “Seguramente, a maioria das instituições não tem um plano de segurança institucional”, afirmou.

No decorrer da sua explanação apresentou algumas situações ocorridas no Brasil, que classificou como falha de segurança institucional, entre as quais, o assassinato da juíza Patrícia Acioli, ocorrido no Rio de Janeiro em 2011.

Disse ainda que o Tribunal de Contas, como órgão de controle, pode ser alvo daqueles que praticam algum tipo de ato ilícito. Nesse sentido, recomendou algumas medidas de segurança que devem ser adotadas pelos servidores, como evitar fornecer, via telefone, informações pessoais e de colegas de trabalho, bem como evitar levar material de serviço para casa e ficar atento à circulação de pessoas estranhas nas dependências do Tribunal.

ALTERAÇÕES

Em seguida, o assessor de Segurança Institucional do TCE, major PM José Itamir Abreu, explicou algumas alterações que serão implantadas no prédio do TCE para atender o PSI. Dentre elas, a mudança da entrada do prédio, que terá como incremento um portal com detector de metais e catracas de acesso.

O major Itamir disse que uma cartilha contendo todas as informações sobre segurança institucional está sendo confeccionada e posteriormente será distribuída. Por fim, ele alertou sobre o uso obrigatório do crachá.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar